MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews The process cannot access the file 'D:\home\site\wwwroot\Visitas2.xml' because it is being used by another process. 2018: 662529
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

Introdução ao Azure Stack em Video aula

Segue a apresentação em video aula criada para o Business Partner, agora disponivel público:

Posted: fev 01 2018, 11:02 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Vamos Falar do Projeto Microsoft Honolulu?

O projeto Honolulu foi muito comentado a algum tempo atrás e linkado a uma nova interface gráfica do Windows ou funcionalidade.

Agora em 01/Dezembro saiu uma nova versão Preview e documentação do Honolulu e já está bem maduro e com arquitetura final definida.

O que é o projeto Honolulu?

É uma nova interface de GERENCIAMENTO para Windows Server.

Não se trata de uma substituição do Server Manager do Windows 2012/2016 e sim uma interface baseada em novos protocolos para acesso e facilidade de uso, alem da capilaridade no gerenciamento.

Quais as vantagens do Honolulu sobre o Server Manager?

O Server Manager é uma ferramenta muito boa, mas é baseada em protocolos locais (RPC, WinRM e outros) alem de ser baseada em uma GUI que precisa ser instalada.

O Honolulu é 100% baseado em web para acesso aos dados e utiliza WinRM, WMI e PowerShell para administração dos servidores.

Com o Honolulu é possivel fazer coisas que o Server Manager não faz, como executar scripts, Windows Update, administrar e monitorar VMs, etc.

Por outro lado, o Honolulu não administra tantos serviços como o Server Manager, como por exemplo File Server, DHCP, DNS, etc que continuam a ser administrados pelas ferramentas MMC.

Como instalar o Honolulu?

A instalação é muito simples, mas é preciso definir a arquitetura.

Basicamente podemos utilizar instalado em um unico servidor e vincular os outros na administração como nós, ou então instalar um servidor como Gateway para acessar os outros e facilitar o trafego quando temos muitos servidores em um farm:

deployment

Em geral para estas ferramentas o ideal é criar um servidor com pouca memoria e poder de processamento (na figura o segundo modelo) para não onerar servidores com outras funções, já que ele cria um serviço para o Honolulu:

capture20180108110941303

Para baixar o Honolulu, como ainda é um Preview é necessário usar a página de avaliaçoes de produtos Windows Server em https://www.microsoft.com/en-us/evalcenter/evaluate-windows-server-honolulu

Como administrar um servidor com o Honolulu?

Vamos as telas básicas. Primeiro inserimos um servidor na lista e a partir dai é possivel por qualquer navegador ver os gráficos de uso, configurar itens, fazer conexão remota, executar comandos PowerShell, etc.

Primeiro, vamos adicionar novos servidores, clusters ou até Windows 10 Client:

capture20180108103235350

Na sequencia basta indicar o usuário e escolher o servidor/cluster que deseja visualizar:

capture20180108103532804

O nivel de detalhes aborda desde os itens de HW até gráficos detalhados para cada um dos itens vituais do servidor/cliente que está sendo monitorado:

capture20180108104007877

Mesmo alguns itens como discos fisicos, volumes e Storage Space já podem ser administrados no Honolulu:

capture20180108104156585

Uma feature interessante é poder administrar o Windows Update remotamente:

capture20180108104311080

O gerenciamento de VMs em um Hyper-V tambem é um dos destaques pelo nivel de detalhamento e a interface intuitiva:

capture20180108104402669

capture20180108104503812

Finalizando, segue o link da documentação técnica do Honolulu: https://docs.microsoft.com/en-us/windows-server/manage/honolulu/honolulu

Posted: jan 08 2018, 18:49 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Azure Stack 1-Entenda a solução

Agora já disponivel na maior parte dos paises do mundo onde a Microsoft possui Datacenters, o Azure Stack passou a ser um tema constante.

Mas primeiro é preciso entender o foco e composição da solução.

Como é composto?

O Azure Stack é um rack de servidores com tamanhos e configuraçoes pre-determinados, hoje disponivel pela Dell, HP, Lenovo e Cisco.

image

O HW de cada fabricante foi homologado e padronizado, o que garante updates diretamente do Azure Stack tanto para o software quanto para hardware.

Isso quer dizer que não posso utilizar minhas próprias configurações?  Exatamente, para garantir que o sistema fique atualizado e a hiperconvergencia funcione os drivers tem que ser homologados e testados.

É importante entender que todo o Azure Stack é baseado no modelo de hiperconvergencia, ou seja são utilizadas as tecnologias de SDN (Software Defined Network) e SDS (Software Defined Storage) ou SDx em geral como são chamadas.

Ou seja, não existe um storage dedicado. Cada servidor possui uma parte de discos SAS de 15k e discos SSD, com o Storage Space Direct (S2D) habilitado. Isso permite que os servidores tenham seus armazenamentos somados ao compartilhar os volumes entre sí.

A garantia de dados com o S2D é garantida pela distribuição de dados entre os servidores, como já faz o vSAM da VMWare ou o Nutanix.

Para quem se destina?

Diferente do que muitos pensam, o Azure Stack não visa o cliente que acha o Microsoft Azure caro e sim os que tem limitações em relação a nuvens públicas.

Por exemplo, alguns cases no Ignite foram da Swisscom e a KPMG da Suécia.

A KPMG o cenário foi a legislação e a exigencia de alguns clientes que não queriam seus dados de auditoria disponiveis em nuvem pública por mais que tente se justificar a segurança do dado. A solução foi o Azure Stack onde a KPMG teria os mesmos serviços utilizados por outras filiais no mundo, mas on-premisse.

Já o case da Swisscom foi o de ser um Datacenter local, já que o Azure não tem um DC no pais. Assim, aqueles clientes que querem utilizar serviços de nuvem pública podem utilizar a nuvem privada do Azure Stack para hospedar seus serviços localmente.

Ou seja, os principais clientes são, entre outros:

  • Paises onde existem restrições legais quanto a armazenar dados em outros paises
  • Datacenters interessados em fornecer serviços a seu usuário a mesma interface do Azure, mas localmente, por exemplo no Brasil só temos um DC Microsoft Azure e um provedor tradicional poderia usar o Azure Stack como ponto de Avaliability Group
  • Empresas com alto uso de recursos computacionais baseados em IaaS e que possuem Datacenter próprios
  • Empresas com tradição on-premisse que não querem ver seus dados fora do ambiente, mas desejam utilizar o modelo de Cloud Publica “in-loco” com facil manutenção e suporte de alto nivel

E aquele cliente que acha o Azure caro, vale a pena usar o Stack?   Na ponta do lapis não, pois precisamos lembrar que é um rack e precisa de refrigeração, energia, piso elevado e todos os outros custos envolvidos em um DC fisico.

Quanto custa o Azure Stack?

Primeiro é necessário ver o custo do Hardware que pode ser vendido diferente por cada um dos atuais 4 fabricantes.

Por exemplo no caso da Dell as configuraçoes começam em 4 servidores de 20 CORE e 4.1TB, podendo chegar a doze servidores por rack, sendo a capacidade máxima de 4 Racks com 12 servidores cada um.

Alem disso, temos os servidores Low, Mid e High profille, onde um rack com os 12 servidores High Profile a capacidade é 336 Core, 6.1TB RAM, 138TB cache, 1.2PB de disco!!!!

Agora vamos falar do custo de Software. É importante lembrar que o Azure Stack não tem custo de software, ou seja ele é bilhetado como um serviço, que inclui:

  • Atualizações do Software Stack
  • Atualizaçoes de Drivers e componentes lógicos
  • Disponibilização e pré-configuração dos componentes e templates
  • Suporte Microsoft do Azure é o mesmo que atende Azure Stack

Ou seja, o Azure Stack tem um custo pelo consumo, não com licenciamento, na modalidade “Pay-As-You-Use”, baseado na tabela abaixo:

image

Referencia: https://azure.microsoft.com/pt-br/overview/azure-stack/how-to-buy/

Baseado nisso, temos como exemplo uma VM A2 que custa U$ 130/mês no Microsoft Azure, no Azure Stack sai por U$ 40/mês.

Claro que deve-se incluir no TCO a infra do Datacenter, garantia e suporte do HW, administração e energia elétrica que no Microsoft Azure não temos.

Mesmo assim, grandes ambientes que já contam com Datacenter a opção passa a ser vantajosa por já incluir muitos destes custos embutidos.

E se o cliente não quiser pagar por consumo?

Tambem é possivel adquirir o custo por CORE, mas pessoalmente não vejo vantagem pois o custo aumenta pelos seguintes motivos:

  • No modelo variável “Pay-As-You-Use” a escalabilidade tambem reflete no preço quando diminuir a carga
  • No modelo desconectado é necessário pagar em separado o licenciamento de Windows e SQL que no modelo “Pay-As-You-Use” está embutido
  • No modelo desconectado o pagamento é anual e upfront

Img2

Todos os Serviços do Azure Estão Disponiveis no Azure Stack?

Ainda não. Como pode-se ver na tabela de preços os mais importantes sim.

Por exemplo, alguns tipos de VMs como G não poderiam rodar no Stack e o mesmo com alguns serviços de alta capacidade como Machine Learning e Cognitive Services.

É possivel criar planos e juntar diferentes soluções para criar workloads complexos, como documentado em https://docs.microsoft.com/en-us/azure/azure-stack/azure-stack-offer-services-overview

Conclusão

Azure se tornou o principal produto da Microsoft e com o Stack a integração entre as nuvens pública e privada realmente se torna uma experiencia unica!

Acesse o link da documentação e saiba detalhes do produto: https://docs.microsoft.com/en-us/azure/azure-stack/

Disponivel para Compra o Azure Reserved Instance

Em um post no inicio do mês comentamos sobre o Azure Reserved Instance em http://www.marcelosincic.com.br/post/Reducao-de-Custos-com-Azure-Reserved-Instance.aspx

Agora já está disponivel para compra e tambem na calculadora do Azure (Azure Pricing Calculator) para estimar a economia tanto apenas a VM quanto com o AHUB.

Para relembrar, o AHUB é o recurso que permite economia por utilizar as licenças já adquiridas que tenha Software Assurance http://www.marcelosincic.com.br/post/Software-Asset-Management-(SAM)-Convertendo-Licenciamento-para-Azure.aspx

Utilizando a Calculadora

Acesse a calculadora de custos do Azure e ao acrescentar uma VM verá a opção de incluir o AHUB e tambem o RI de 1 ou 3 anos.

Abaixo seguem as imagens demonstrando como escolher e a redução possivel onde de $102 para uma VM normal, caimos para $58 em uma VM RI de 3 anos e juntando o AHUB para U$ 24!!!!!

capture20171120110156861

capture20171120110220871

capture20171120110233228

E por ultimo com a opção de AHUB:

capture20171120110255518

Comprando Reserved Instance no Portal do Azure

A compra do RI pelo portal exige que primeiro seja ativada a oferta na assinatura.

É importante que assinaturas de beneficio MSDN ou EA Dev/test não possuem o RI pois já tem um custo de 40 a 60% menor nas VMs.

capture20171120111114106

capture20171120111131190

capture20171120111232554

capture20171120111322235

Resumindo: Agora podemos ter uma VM com mais de 80% de desconto juntando as ofertas de RI e AHUB!!!

Posted: nov 20 2017, 13:21 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: Azure | Microsoft Azure

Palestra Azure Stack Porto Alegre

Estamos as vesperas do lançamento mundial do Azure Stack.

Essa semana tive o privilégio de falar sobre ele em uma conferencia em Porto Alegre.

Agradecemos ao apoio dos organizadores e o interesse dos participantes.

Evento Dell 07-11-2017

Login
Marcelo de Moraes Sincic | MVP
MVP: System Center Cloud and Datacenter Management, MCT, MCSE, MCITP, MCPD, MCDBA
MVP Logo

Pageviews 2018: 662529
Pageviews 2017: 4351543
Pageviews 2016: 3991973
Pageviews 2015: 2675433
Pageviews 2014: 2664208
Pageviews 2013: 2399409
Pageviews 2012: 3209633
Pageviews 2011: 2730038
Pageviews 2010: 1470924
Pageviews 2009: 64608

Últimos posts

Categorias

Arquivo

Tags

MVP V-Conf – Evento Online de MVPs

image

A Microsoft está organizando um evento virtual com MVPs em vários lugares do mundo, e o Brasil foi um dos escolhidos.

A data do evento no Brasil será a mesma dos outros países do mundo, dias 14 e 15 de Maio, detalhes em http://mvp.microsoft.com/en-us/virtualconference.aspx

A inscrição pode ser feita pelo link: http://aka.ms/mvpvirtualconference2015

No link http://mvp.microsoft.com/en-us/virtualconference-sessions.aspx#Brazil é possivel ver a grade completa das palestras em portugues, feitas por MVPs brasileiros.

Junto com o Vidal teremos duas palestras e convidamos todos a participar!

image

MVP Virtual Conference Brasil–Evento Online Gratuito em Março

Microsoft Virtual Conference

Replico o convite para o evento que foi organizado para divulgar conhecimento, como um grande evento online. Irei participar na trilha de Arquitetura e Infra com a palestra “Gerenciando Private Cloud com System Center 2012” junto com o Panissa que irá mostrar como o Service Manager aplica ITIL, o Daniel Donda com o PowerShell e o Waldemir Cambiucci com “Cenários do Mundo Real”. Veja a agenda completa das palestras em http://mvpvirtualconference.azurewebsites.net/palestras

Segue o convite oficial:

“A comunidade de Microsoft Most Valuable Professionals (MVP) convida você para participar do MVP Virtual Conference dias 26, 27 e 28 de Março de forma 100% online.

Aproveite essa oportunidade de entender e tirar suas dúvidas sobre como as tecnologias e produtos Microsoft podem te ajudar a solucionar problemas e/ou otimizar tarefas do seu dia a dia. Aprenda diretamente com MVPs, profissionais reconhecidos pela Microsoft, independentes e especialistas, além de convidados especiais da comunidade técnica brasileira e da Microsoft, como os arquitetos do Microsoft Technology Center (MTC).

Objetivo
Apresentar online capacidades e funcionalidades de produtos e tecnologias Microsoft dentro de um contexto baseado em cenários do mundo real.

Formato
O evento conta com nove diferentes trilhas, abordando tópicos relevantes a cenários do dia a dia para as empresas, profissionais de TI e desenvolvedores. Durante cada dia de evento, três trilhas serão apresentadas por completa de forma online no formato de um webcast. Cada trilha comtemplará apresentações sobre tecnologias e produtos Microsoft dentro de um especifico cenário, finalizando com uma rica sessão estilo roundtable com todos os palestrantes da trilha.
Horário das palestras: Das 08:45 às 17:00hrs com intervalo para almoço das 11:30 às 13:00hrs.

Inscrição
As inscrições são abertas a todos os interessados. Escolha o(s) tópico(s) que mais lhe interessam, clique no respectivo link para realizar a inscrição e receber uma confirmação via e-mail para adicionar ao seu calendário. Fique à vontade em convidar outras pessoas. Clique no assunto de seu interesse abaixo para realizar a inscrição. Clique aqui para ver a lista de palestras que você irá encontrar em cada um dos nove assuntos principais.

Dia 26 de Março / terça-feira

Consumerização de TI
Responsável: Alexandro Prado - MVP
Palestrantes: Jorge Barata (MVP), Paulo Sant´anna (MTAC), Marcondes Alexandre (MVP), Igor Humberto (MTAC), Rover Marinho (MVP)
Exemplo de cenário
: Para você profissional da área, entender Consumerização de TI e as tecnologias que viabilizam isso passam a ser essenciais para você alcançar e ser bem sucedido na sua empresa e acompanhar essa tendência do mercado de TI. Acompanhe esse tema e aprenda como aplicar as tecnologias Microsoft no mundo real.
Inscreva-se agora

Segurança
Responsável: Rodrigo Immaginario – MVP
Palestrantes: Rodrigo Immaginario (MVP), Alberto Oliveira (MVP), Luciano Lima (MVP), Marcos Tupinambá (MVP)
Exemplo de cenário abordado: Uma empresa de consultoria, que possui diversos colaboradores trabalhando de forma remota, recentemente identificou diversas falhas de segurança em sua rede local e na proteção dos seus projetos confidenciais. Para melhorar a segurança do seu ambiente será adotado o conceito de "defesa em profundidade" mas o projeto deverá ser implementado com o mínimo de investimento e em curto espaço de tempo. Veja como as tecnologias já disponíveis nos sistemas operacionais da Microsoft (Server e Client) pode ajudar.
Inscreva-se agora

Gerenciamento de Projetos e Equipes de Desenvolvimento
Responsáveis: André Dias - MVP / Carlos dos Santos – MVP
Palestrantes: Carlos dos Santos (MVP), Ramon Durães (MVP), Marcelo Azuma (MVP), Cláudio Leite (ALM Ranger), André Dias (MVP), Igor Abade (MVP), Adriano Bertucci (MVP), Marcio Sete (MVP)
Exemplo de cenário abordado: Uma empresa de médio porte está em franco crescimento, aproveitando oportunidades do mercado. Suas aplicações estão se tornando mais complexas e o time de desenvolvedores está crescendo. Nos últimos anos, a empresa tem sofrido com uma demanda crescente por suporte, devido constantes falhas no software em produção. A qualidade do software gerado pelos times é sofrível e essa percepção tem crescido no mercado. A empresa espera continuar crescendo, mas precisa corrigir e evitar novos problemas com a gestão de seu processo de desenvolvimento de software. Recentemente, a empresa ouviu falar sobre as novas tendências no desenvolvimento ágil e os benefícios da abordagem para Modern Apps.
Inscreva-se agora

Dia 27 de Março / quarta-feira

Interoperabilidade no Desenvolvimento e Infraestrutura
Responsáveis: André Ruschel - MVP / Rogério de Carvalho - MVP
Palestrantes: André Ruschel (MVP), Rogério Moraes de Carvalho (MVP), Rogerio Cordeiro (Microsoft)
Exemplo de cenário: Uma empresa ampliou seu ambiente de TI recentemente, após a aquisição de duas novas empresas do mercado. Os ambientes de TI das 3 unidades são heterogêneos, contemplando diferentes cenários para monitoração, segurança, bancos de dados, desenvolvimento de aplicações e integração de processos. Mesmo antes da consolidação de todas as unidades, a empresa enfrenta uma demanda crescente por aplicações consumindo informações das 3 unidades de negócio, que rodam em plataformas heterogêneas. As equipes de desenvolvimento e infraestrutura precisam decidir quais são as tecnologias e abordagens para esse cenário de interoperabilidade interna na empresa.
Inscreva-se agora

Arquitetura e Gerenciamento de TI
Responsável: Marcelo Sincic - MVP
Palestrantes: Marcelo Sincic (MVP), Hélio Panissa (MVP), Waldemir Cambiucci (Microsoft), Daniel Donda (MVP)
Exemplo de cenário: Uma empresa possui um datacenter de 3ª geração, baseado em servidores blades adotados de diferentes fornecedores. Ao longo dos anos, a empresa tem usado fortemente o modelo de virtualização, mas tem enfrentado desafios no gerenciamento de sua TI. Constantemente, VM’s são perdidas, o processo de suporte e provisionamento é lento e não existe um portal de autoatendimento para os clientes de TI, o que exige horas de atendimento telefônico e atrasos constantes nas requisições. A empresa adota alguns processos de ITIL v3, mas não possui uma ferramenta unificada de gestão de processos ITIL.
Inscreva-se agora

Desenvolvimento de Software e Aplicativos
Responsáveis: Renato Haddad - MVP / André Carlucci - MVP
Palestrantes: Renato Haddad (MVP), Victor Cavalcante (MVP), André Carlucci (MVP), Rodolpho Marques (MVP)
Exemplo de cenário: Uma empresa da área anúncios desenvolve aplicações para seus mais de 10 mil clientes e está em franco crescimento. O perfil de seus clientes está na classe média, consumindo cada vez mais dispositivos móveis, mas também acessando informações da empresa através de desktops em casa, no trabalho ou através de sites na Web. Como desenvolver novas aplicações atendendo a todos esses requisitos?
Inscreva-se agora

Dia 28 de Março / quinta-feira

Produtividade, colaboração e comunicação unificada
Responsável: João Benito Savastano - MVP
Palestrantes: Fernando Andreazi (MVP), Sara Barbosa (MVP), André Xavier (MVP), Eduardo Freire (MVP), Fernanda Saraiva (MVP), Andrea Morais (Microsoft), João Paulo Sevegnani (Microsoft)
Exemplo de cenário: Uma empresa da área de vendas possui um número grande de vendedores em campo. A maioria de sua força de venda possui pouco tempo para retornar ao escritório ou sincronizar seus dados, acessando as informações da empresa mais de 90% do tempo externamente. Muito processos exigem a aprovação de workflows ou leitura de e-mails do pessoal em campo. Ao mesmo tempo, a empresa tem percebido um aumento crescente em seus gastos com telefonia, devido a maior capilaridade de empresa pelo Brasil.
Inscreva-se agora

Computação em Nuvem
Responsáveis: Lucas Romão - MVP, Evilázaro Alves - MVP, Fabrício Sanchez - MVP
Palestrantes: Lucas Romão (MVP), Evilázaro Alves (MVP), Fabrício Sanchez (MVP), Humberto Silva (Microsoft)
Exemplo de cenário: Pequenas, médias e grandes empresas hoje avaliam sua infraestrutura, em relação aos desafios para o gerenciamento e manutenção do ambiente de TI. O mercado tem apresentado nos últimos anos alternativas para a gestão de TI, através de modelos baseados em nuvem pública ou privada. Mais recentemente, a construção de nuvens híbridas tem recebido destaque em fóruns de arquitetura e gerenciamento de infraestrutura. Uma empresa está hoje com 80% de sua TI baseada em máquinas virtuais sem gerenciamento unificado. Outros 20% estão em máquinas físicas, com aplicações legadas. Como dar o próximo passo?
Inscreva-se agora

BI, Big Data e Gerenciamento de Dados
Responsáveis: Luciano Moreira - MVP, Gustavo Maia - MVP
Palestrantes: Luciano Moreira (MVP), Pericles Rocha (Microsoft), Nilton Pinheiro (MVP), Felipe Ferreira (MVP), Fabiano Amorim (MVP)
Exemplo de cenário: A análise de dados é um dos principais elementos de sucesso para o bom entendimento de diversas linhas de negócio. Sem uma análise de dados robusta, é impossível entender as tendências e comportamento de seu negócio, durante as várias fases de sua execução. Uma empresa da área financeira deseja analisar o comportamento de risco de seus milhares de clientes e investidores. Ela busca ferramentas de análise e mecanismos de integração para consumo de diferentes fontes de dados de seus vários sistemas.
Inscreva-se agora

Apresentação sobre Deployment do Windows 8 no Evento de Lançamento Técnico

Update: Video da apresentação disponivel no Channel9 http://channel9.msdn.com/Events/Windows-Camp/Windows-Dev-Camps-Brasil/lancWin8Infra1

Na ultima quarta feira ocorreu o evento de lançamento do Windows 8 no Brasil, no Vila Noah em SP.

Neste eventos com 3 trilhas fiz a primeira palestra da trilha de Infraestrutura com o tema “Deployment do Windows 8”.

Apresentamos as opções de deploy LTI, UDI e ZTI. Alem disso apresentamos as diversas funcionalidades do Windows ADK (http://www.microsoft.com/pt-br/download/details.aspx?id=30652), MDT (http://www.microsoft.com/en-us/download/details.aspx?id=25175) e System Center Configuration Manager 2012 (avaliação em http://www.microsoft.com/en-us/server-cloud/system-center/configuration-manager-2012.aspx).

Para quem quiser o ppt, clique aqui e baixe em PDF: Session 2 Deployment Deck - Final.pdf (1,92 mb)

IMG-20121113-00571IMG-20121113-00562

 

Posted: nov 30 2012, 10:10 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5

Começando um novo ano de trabalho e balanço de 2011

Este ano calendar de 2011 foi um ano muito corrido, com grandes mudanças profissionais no meu caso.

Muito se falava ainda nos efeitos da crise no inicio do ano e que este ano ainda seria com crescimento imperceptivel, mas a verdade é que foi um excelente ano para TI com as empresas entrando de vez na onda de virtualização ao invés de simples upgrade nos atuais servidores.

Como foi 2011

Também foi um ano com muitas novidades em vislumbre de produtos, já que 2010 havia sido um ano pífio do ponto de vista das novidades. Incluo nisso a nova familia de produtos System Center 2012 (Roadmap da Familia System Center 2012) destacando o Orchestrator e AVICode como novidades, passamos a ter mais dados das esperadas versões do Windows Phone 7 Mango e do Windows 8 (Primeiras Impressões- Windows 8 Server Developer Preview). Em outras linhas vimos o VMWare 5 que também traz muitas novidades.

Profissionalmente Fevereiro foi um mês especial por dois motivos. O primeiro que pude participar pela primeira vez do MVP Summit em Redmond na sede da Microsoft, o que é um evento que em sí já é excelente, mas a oportunidade de conhecer onde alguns dos produtos que mais trabalhamos é feita e conhecer as cabeças por trás deles é muito bom.

Segundo motivo que fez de Fevereiro um mês especial foi que passei a integrar a equipe de Consultoria Global em Serviços de Infraestrutura (GICS) da Dell Computadores, que é formada por poucos profissionais, mas que são de grande conhecimento. Após 17 anos trabalhando como terceirizado ou prestador de serviços não tendo vinculo fixo com nenhuma empresa, foi um ótimo recomeço e a equipe extremente qualificada ajudou muito nisso.

Em 2011 completei 11 anos como MCT (Microsoft Certified Trainer) o que me alegra muito (Aprovação de MCT) pois fo assim que conheci muitos dos profissionais com que hoje trabalho ou interajo. Este ano assim que reabrirem as incrições, provavelmente no inicio de março, irei novamente renovar apesar de neste ano que passou ter minitrado treinamento apenas em Janeiro. Mas em 2012 pretendo retornar a sala de aula como instrutor agora com os produtos System Center 2012.

No ano de 2011 a Microsoft iniciou uma nova forma de divulgar conhecimento por meio dos “Centros de Treinamento” que tive a oportunidade de organizar e gravar parte de 3 deles:

Esse ano tive alguns post que me orgulho de ter feito e se tornaram os tops no meu blog em portugues e ingles (http://www.msincic.wordpress.com) :

Na parte de eventos pude participar da série MS TechDay que é organizada pela Fernanda Saraiva (@fefesariava) e outros MVPs como o Evilazario, Nakano, Donda, Helio Panissa, Nogare. Alem disso também pude participar do UNIT com outros grandes profissionais organizado pelo Jordano (@jordanomazzoni)

E claro, foi com enorme satisfação participar em meu 5º TechEd como palestrante (Microsoft TechEd 2011–Não deixe de comparecer).

Em Outubro o Daniel Donda (@danieldonda) e o Alexandro Prado (@alexandroprado) me convidaram a revisar e fazer o prefácio do e-book que montaram sobre GPO, que por sinal ficou excelente E-book Group Policy Objects - Da teoria à prática.

Ainda no mês de Outubro fui renovado como MVP (MVP 2011–Obrigado Comunidades) o que me deixou muito feliz. Neste ano tivemos um novo MVP Lead a partir de Fevereiro que é o João Paulo Clementi (@jpclementi) que está fazendo um ótimo trabalho, o que inclui uma renovação entre os MVPs, dando oportunidade a novos profissionais.

E agora em Dezembro para fechar o ano com chave de ouro eu e o Leandro Carvalho (@LeandroEduardo) fomos vencedores de uma iniciativa mundial para divulgação e participação nos testes do VMM 2012 Beta (http://www.marcelosincic.com.br/blog/post/Vencedor-de-Outubro-do-VMM-2012-CEP-Community-Participation-Contest.aspx), o que mostra o valor da comunidade brasileira, pois foram apenas 6 profissionais do mundo que receberam o prêmio.

O que esperar de 2012?

Um ano com todos os lançamentos que teremos com certeza será um ano com muito trabalho.

Ainda neste inicio do ano se espera o lançamento da familia System Center, o que irá demandar muito estudo e familiarização com estes novos produtos, e consequentemente a re-certificação.

Esperamos em breve uma versão Beta do Windows 8 Server and Client e, quem sabe, este ano ainda teremos noticiais com dadas concretas do lançamento da versão final.

Não acredito em renovação ou novos rumos só porque o ano mudou, não adianta esperar Dezembro para fazermos um levantamento do que fizemos de bom ou ruim e traçar metas, isto deve ser feito constantemente, seja na semana ou no mês. O importante é medirmos nosso progresso e continuar avançando tecnica e profissionalmente a cada ciclo de avaliação.

Um abraço a todos que me apoiaram e espero poder ajudar outros profissionais como fui ajudado neste ano calendar que terminou.

Números

Em 2011 tive no meu site em portugês 107 mil visitantes únicos fazendo 225 mil visitas com 1,47 milhões de page views, o que representa um aumento de 47% sobre o ano de 2010.

image

Já minha versão em inglês do meu site (http://msincic.wordpress.com) o aumento foi de 410% na média de visitantes únicos levando em conta que iniciei no ano passado e este ano consolidei.

image

Posted: jan 02 2012, 19:37 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Filed under: MVP | Certificação | Outros

Vencedor de Outubro do VMM 2012 CEP Community Participation Contest

image

Recebi ontem um email me parabenizando no programa Beta do System Center Virtual Machine Manager 2012 do mes de Outubro.

Foram 6 meses de programa onde os participantes com melhores contribuições ganharam um premio de reconhecimento e tiveram suas contribuições publicadas.

O melhor é que entre os 6 ganhadores temos dois brasileiros, no mes de setembro foi o Leandro Carvalho com suas contribuições sobre VMM 2012 que podem ser vistas em http://www.bettertogether.org.au/blog/b/leandrocarvalho/archive/tags/VMM/default.aspx

As minhas contribuições podem ser vistas em http://www.marcelosincic.com.br/blog/category/Virtual-Machine-Manager.aspx.

Fico feliz de compartilhar com o Leandro este prêmio e mostrar para a comunidade como os técnicos brasileiros tem destaque em programas internacionais, principalmente em betas como neste caso e outros, como no System Center Configuration Manager 2007 que também dividi prêmios com o Leandro e o Jordano (http://blogs.technet.com/b/systemcenter/archive/2010/01/11/december-community-contributors-recognized-marcelo-sincic-and-jordano-mazzoni.aspx)

Posted: dez 02 2011, 10:19 by msincic | Comentários (0) RSS comment feed |
  • Currently 0/5 Stars.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
Login